Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

from my orchid kitchen

ideias simples e caseiras para (quase) todos os gostos, da minha cozinha para a vossa

from my orchid kitchen

ideias simples e caseiras para (quase) todos os gostos, da minha cozinha para a vossa

Ter | 29.10.19

PUDIM DE BANANA (NO FORNO)

(sem glúten)

Esta é uma solução diferente para uma sobremesa que usa uma quantidade significativa de bananas maduras, e que tão bem sabe nestes dias de Outono.

(click here for recipe in english)

pudim-banana-pudding-oven_1.jpg

Fico sempre animada quando tenho bananas maduras na minha cozinha, porque significa que posso fazer alguma sobremesa de banana. O mais comum é preparar uma fornada de queques ou bolo de banana, mas desta vez como tinha muitas bananas congeladas resolvi pela primeira vez fazer este pudim de forno.

 

Existem algumas receitas deste tipo, muitas de origem brasileira mas que usam leite condensado, o que não é o caso desta que tem menos açúcar, uma vez que já há alguma doçura proveniente das bananas maduras.

 

Receita de Pudim de banana

receita de forno

para notas sobre a receita ler mais abaixo

 

ingredientes

6 bananas médias (em puré)

3 ovos grandes

125 gr de açúcar

2 colheres (sopa) de Vinho da Madeira (ou Porto) (opcional)

20 gr de manteiga

Caramelo líquido q.b. (caseiro ou de compra)

 

preparação

Bater a manteiga com o açúcar, até obter um creme fôfo.

Adicionar um a um, os ovos, misturando bem.

Acrescentar o Vinho da Madeira.

Por fim, envolver bem o puré de banana até ficar um preparado homogéneo.

Verter o preparado numa fôrma de pudim com cano (usei uma de 18 cm de diâmetro).

Levar a cozer em banho-maria, a 190ºC durante cerca de 1 hora.

Retirar do forno e deixar arrefecer à temperatura ambiente.

Colocar no frigorífico durante algumas horas, até desenformar.

Na altura de servir, regar as fatias de pudim com um pouco de caramelo líquido.

 

Adaptado de "Pudim de banana" da revista TeleCulinária

 

Os Ingredientes

Este pudim de banana não requer muitos ingredientes para a sua confecção - apenas bananas, ovos, açúcar, manteiga, e como opção o Vinho da Madeira (ou então Vinho do Porto).

Banana - Ao contrário de muitas sobremesas que usam a banana, este pudim não precisa de uma, duas ou três, mas sim 6 bananas! É esta fruta juntamente com os ovos que irá dar a consistência ao pudim, uma vez que não leva nenhum tipo de farinha na receita. O tipo de banana ideal a ser usado aqui é quando esta se encontra madura, apesar de também poder ser feito com bananas com tom mais amarelo. Como tinha bananas bem maduras congeladas, foram estas que escolhi usar.

Vinho da Madeira - Esta receita de pudim de banana foi adaptada de uma revista na qual era usado vinho branco; como não foi algo que me agradou, troquei a bebida alcoólica por outra - Vinho da Madeira, uma vez que a banana é sempre associada à Ilha da Madeira e achei que para um pudim era melhor usar um vinho generoso. Ao contrário de muitas sobremesas e bolos com banana, e apesar serem bastantes bananas, o sabor não é muito intenso, também pelo facto de se acrescentar o Vinho da Madeira (e por isso refiro que é opcional o seu uso).

 

Modo de preparação

Como quase todos os pudins de forno, a preparação deste pudim de banana não é trabalhosa.

 

  • Basta bater a manteiga com o açúcar, aos quais são adicionados os ovos, o Vinho da Madeira e por fim a banana em puré.
  • Como referi anteriormente, usei bananas que tinha congelado com a casca; por vezes as bananas congeladas com casca ao descongelar, largam uma humidade extra. Neste caso, achei melhor descartar esse liquido porque podia influênciar a consistência final do pudim.
  • Verte-se então o preparado numa fôrma de pudim ou outra similar que possa ir ao forno, e coloca-se a fôrma num tabuleiro (que tenha alguma profundidade) e insere-se no forno, enchendo o tabuleiro com água bem quente (é mais seguro colocar-se a água para o banho-maria depois de pousar o tabuleiro no forno para que não haja acidentes!).
  • Depois de cozido, deixar o pudim arrefecer dentro da fôrma à temperatura ambiente, e posteriormente levá-lo ao frigorífico durante algumas horas (geralmente deixo de um dia para o outro).
  • Para mim, pudim que é pudim tem de levar molho de caramelo, por isso finalizei na hora de servir com um pouco deste caramelo.

pudim-banana-pudding-oven_2.jpg

 

 

 

Obrigado pela visita

Não se esqueça de SUBSCREVER para receber cada post directamente no seu e-mail.

 

Siga o blog 

FACEBOOK  |  PINTEREST  |  INSTAGRAM

 

Qui | 24.10.19

CONGELAR BANANAS

banana-close-up-delicious-2280926-min.jpg

Uma das frutas que tenho sempre nas gavetas do congelador é a banana, porque volta e meia amadurecem às vezes rápido demais e ficam mais moles (processo que causa que os amidos presentes se transformem em açúcares à medida que vão amadurecendo) e e já não dá para serem partidas em rodelas firmes ou descascadas e comidas à mão.

 

Uma vez que a fruta fica mais doce e húmida, é óptima para a preparação de bolos, bolachas ou outras sobremesas, permitindo uma redução dos açúcares a adicionar nas receitas.

 

Como é dever de todos nós evitar o desperdício alimentar (e também de dinheiro) deixo aqui quatro maneiras de conservar banana em nossas casas.

 

Como congelar banana

 

Existem 4 processos que se podem fazer quando precisamos (ou queremos) congelar banana:

 

  • descascar, cortar em rodelas ou pedaços pequenos, e colocá-los separadamente num tabuleiro/prato que possa ir ao congelador, e depois de solidificarem distribuir por sacos de congelação - servem para quando queremos fazer batidos de fruta (os famosos smoothies) ou aqueles gelados saudáveis e rápidos que requerem pedaços de fruta já congelada que vai ser triturada num robot/processador de cozinha (os chamados nice creams);

 

  • descascar a banana e congelá-la inteira dentro de um saco de congelação;

 

  • se já temos uma ou mais receitas em mente e que usam banana em puré, podemos congelar a polpa em sacos próprios ou caixas de congelação, polpa que foi previamente pisada na quantidade necessária para a receita, simplesmente descongelando a banana à temperatura ambiente antes de a usar;

 

  • congelar a banana inteira com casca - quando chega a altura de a usarmos, basta deixar alguns minutos à temperatura ambiente, e quando se apresentar algo mole, basta cortar uma ponta e espremer a banana de dentro da casca como se estivessemos a espremer o conteúdo de uma bisnaga (esta técnica é ideal quando as bananas estão mesmo muito maduras, pois ao natural já estavam demasiado moles para descascar).

Fotografia by Kimona from Pexels

 

Obrigado pela visita

Não se esqueça de SUBSCREVER para receber cada post directamente no seu e-mail.

 

Siga o blog 

FACEBOOK  |  PINTEREST  |  INSTAGRAM

 

Seg | 21.10.19

BOLACHAS FÔFAS DE FARINHA DE CÔCO

Estas bolachas de textura suave e leve sabor a côco são ideais para acompanhar uma bebida quente nestes dias de Outono em que as temperaturas descem.

(click here for recipe in english)

bolachas-farinha-coco-coconut-flour-cookies_1.jpg

Em casa, temos por hábito comer bolachas apenas a acompanhar o café depois do almoço, e decidi então começar a experimentar mais receitas de biscoitos e bolachas. Uma dessas experiências foram estas “bolachas” feitas só com farinha de côco, e portanto sem glúten, que todos gostaram bastante.

A receita original chamou-lhes bolachas mas são mais uns bolinhos achatados com um leve sabor a côco, pois ficam com uma textura fôfa e menos crocante do que as comuns bolachas.

 

Receita de Bolachas fôfas de farinha de côco

para notas sobre a receita ler mais abaixo

 

ingredientes

60 gr de farinha de côco

100 gr de açúcar

2 ovos (pequenos) ou 1 ovo grande

60 gr de manteiga

1 colher (chá) de leite

½ colher (chá) de baunilha

1 colher (chá) de fermento

pitada de sal

 

preparação

Bater a manteiga com o açúcar até obtermos um creme fôfo.

Juntar os ovos, um a um.

Acrescentar o leite e a baunilha.

Numa taça, misturar a farinha com o fermento e o sal.

Aos poucos, envolver a mistura de farinha no preparado de ovos, manteiga e açúcar.

Com as mãos, formar pequenas bolas de massa, e depois achatá-las para que fiquem com a forma de um círculo.

Colocar num tabuleiro, e levar ao forno a 190ºC durante 8 a 10 minutos, ou até começarem a ganhar côr nas bordas.

 

Adaptado de "Basic coconut flour cookies" / Originalmente publicado em 2016

bolachas-farinha-coco-coconut-flour-cookies_2.jpg

 

Os Ingredientes

 

Além da farinha de côco, que muitos poderão não ter na sua despensa, todos os restantes ingredientes são bastante comuns e acessíveis: ovos, açúcar, manteiga, fermento, baunilha e leite.

Quem quiser intensificar o sabor a côco, pode substituir o leite por leite (bebida) de côco, e em vez de manteiga usar somente óleo de côco - cerca de 2 a 3 colheres de sopa - mas nesse caso convém antes de moldar as bolachas, colocar o preparado pelo menos meia hora no frigorífico para que esteja mais firme para manusear.

 

Farinha de côco vs côco ralado

organic-coconut-flour.jpgFonte: thegreengrocermanila.com

Para muitos que ainda não estão familiarizados com esta farinha muito usada em dietas low-carb (baixas em hidratos de carbono), paleo e sem glúten, a farinha de côco não é o mesmo que côco ralado.

Esta farinha é um subproduto resultante do fabrico do leite de côco, em que depois de prensar a polpa seca do côco, esta é desidratada a baixa temperatura e depois moida finamente.

 
A farinha de côco é particularmente absorvente e uma quantidade muito pequena de farinha absorve uma quantidade muito grande de líquido. A melhor maneira de neutralizar este efeito de absorção é adicionar elementos húmidos à receita, nomeadamente muitos ovos. A proteína presente nas claras de ovos ajuda a fornecer estrutura, enquanto as gemas fornecem humidade.
 
 
Já o côco ralado, como o nome indica, trata-se da polpa branca do fruto fresco que é simplesmente ralada. Como não sofre mais nenhum tratamento, o côco ralado possui mais humidade, e por isso o que é confeccionado com este ingrediente para além de ter mais textura tem sempre consistência menos seca.

 

Modo de Preparação

 

No que toca à preparação destas bolachas de côco, é um processo relativamente rápido e simples.

  • Começamos por misturar bem a manteiga com o açúcar, adicionando de seguida os elementos líquidos: ovos, leite (pode ser leite de vaca ou vegetal) e baunilha.
  • Juntamos depois os ingredientes secos: farinha de côco e o fermento, envolvendo até ficar uma massa moldável a partir da qual formamos cerca de 12 pequenas bolas.
  • Distribuímos as 12 bolas num tabuleiro de ir ao forno, (previamente untado ou coberto com uma película de silicone ou papel vegetal), e depois com as mãos ou com a ajuda de algum utensílio (eu usei o fundo de um copo largo) achatamos as bolas dando-lhes a forma de bolachas.
  • Leva-se ao forno e retiram-se mal comece a ganhar côr nas bordas.

bolachas-farinha-coco-coconut-flour-cookies_3.jpg

 

 

 

Obrigado pela visita

Não se esqueça de SUBSCREVER para receber cada post directamente no seu e-mail.

 

Siga o blog 

FACEBOOK  |  PINTEREST  |  INSTAGRAM

 

Qua | 16.10.19

BOLO DE FATIAS DE MAÇÃ

Repleto de maçã suculenta e macia, este bolo é incrivelmente delicioso e só precisa de 5 ingredientes para o fazer. Pode ser servido simples, morno ou à temperatura ambiente com chantilly, ou então num dia quente, com um pouco de gelado.

(click here for recipe in english)

bolo-fatias-maca_1.jpg

Com temperaturas mais quentes, a fruta amadurece mais rapidamente, e foi o que aconteceu com algumas maçãs que eu tinha, deixando-me “sem alternativa”, senão usá-las numa sobremesa (tenho que admitir que é uma das razões que mais vezes uso como desculpa para experimentar uma nova receita ...)

Este bolo, com mais maçãs do que verdadeiramente massa de bolo, é uma delícia saudável, simples e húmida, onde podemos usar mais do que uma variedade de maçãs.

 

Receita de Bolo de fatias de maçã

para notas sobre a receita ler mais abaixo

ingredientes

500 gr de maçã

1 ovo grande

50 gr de farinha

2 colheres (sopa) óleo de côco

50 gr de açúcar

1 colher (chá) de fermento

Raspa de 1/2 limão (opcional)

 

preparação

Numa taça grande misturar a farinha, o açúcar e o fermento.

Noutra taça bater o ovo inteiro juntamente com o óleo e a raspa de limão.

Descascar as maçãs, e cortá-las em quartos.

Com a ajuda de um robot de cozinha, ou de uma mandolina, fatiar finamente as maçãs.

Juntar as fatias de maçã à mistura de farinha e açúcar, envolvendo bem com as mãos.

Adicionar a mistura de ovo e óleo, e voltar a envolver tudo com as mãos.

Untar uma fôrma (usei a minha de 16 cm de diâmetro) e forrar o fundo com papel vegetal.

Encher a fôrma com o preparado, e com a ajuda de uma colher, pressionar bem.

Levar ao forno a 180ºC durante cerca de 45 minutos.

Deixar arrefecer um pouco na fôrma antes de retirar.

 

Adaptado de "Stefania's apple cake" / Originalmente publicado em 2018

bolo-fatias-maça-apple-slices-cake_2.jpg

Os Ingredientes

 

Este bolo é daqueles simples que só leva 5 ingredientes, e que se encontram facilmente em qualquer despensa:

  • Maçãs - é importante usar maçãs de polpa firme que não se transformem quase em puré ao cozinharem (as maçãs Reinetas, por exemplo, não servem). O tipo de maçã determinará não apenas a consistência deste dourado bolo de maçã porque ver-se-ão as camadas feitas pelas fatias da fruta, mas também influenciará o sabor - ácido ou doce, ou ambos. Nas vezes que fiz esta receita utilizei quatro ou cinco maçãs Golden médias, e noutra vez também uma mistura de Golden com Fuji.
  • Ovos
  • Farinha - esta receita também resulta muito bem usando farinha sem glúten (mix) em vez da farinha de trigo (experimentei com esta marca), e é especialmente óptima quando as maçãs são mais sumarentas, pois as farinhas deste tipo sem glúten absorvem mais humidade do que a farinha de trigo. Para quem quiser fazer uma versão paleo pode substituir a quantidade de farinha por farinha de amêndoa.
  • Açúcar
  • Manteiga ou óleo - prefiro usar óleo de côco extra-virgem pelo sabor que dá ao bolo, mas pode-se usar manteiga, sendo que o equivalente são cerca de 30 gramas (2 colheres de sopa) que deve ser previamente derretida.
  • Fermento (se usarem farinha sem fermento)

 

Modo de preparação

  • Este bolo de maçã é muito simples de fazer, basta colocar numa taça grande a farinha com o fermento e o açúcar.
  • À parte, bate-se o ovo com a manteiga/óleo e junta-se a raspa.
  • No robot de cozinha fatiam-se as maçãs, que depois se envolvem bem na mistura de farinha. Como as fatias de maçã são bastante finas, vão aderir umas às outras facilmente; é por essa razão que ao misturar com a farinha, convém que se usem as mãos para separar as fatias e que estas serão bem envolvidas na farinha.
  • O mesmo se passa quando se adicionam os ingredientes húmidos, porque se usarmos uma colher ou garfo para envolver vamos também fazer com que as fatias se quebrem formando pedaços mais pequenos.
  • Seguidamente junta-se a mistura de ovo até estar tudo bem ligado e coloca-se na fôrma, levando-se a cozer no forno.

 

Fatiar as maçãs

  • Para fatiar finamente as maçãs, convém utilizar um robot de cozinha que tenha o acessório de fatiar, para ser mais rápido e a maçã não correr o risco de oxidar, sendo que o ideal é o da espessura mais fina, geralmente o usado para cortar batata às rodelas finas para fritar.
  • Em alternativa, pode-se usar uma mandolina, e em último recurso a faca – mas vai ser mais demorado…
  • Seja qual fôr o método usado para fatiar a maçã, eu aproveito a totalidade da mesma, à excepção da casca (mas quem quiser pode manter a maçã com a casca) e das sementes; eu digo isto porque ao fatiar no robot há bocados que ficam mais pequenos ou partidos, mas que eu insiro na mesma no bolo, e não apenas as fatias mais inteiras e perfeitinhas.

bolo-fatias-maça-apple-slices-cake_3.jpg

 

 

 

Obrigado pela visita

Não se esqueça de SUBSCREVER para receber cada post directamente no seu e-mail.

 

Siga o blog 

FACEBOOK  |  PINTEREST  |  INSTAGRAM

 

 

 

Qua | 16.10.19

EU & O BLOG

vladislav-klapin-SymZoeE8quA-unsplash-min.jpg

Olá!

Partilhar e criar receitas é o que eu mais gosto nisto de ter um blog, e espero que encontrem alguma inspiração aqui enquanto lêem estes posts. 

Encontrarão aqui uma grande variedade de receitas: principalmente saudáveis, outras não muito, mais doces que salgadas; mas eu tento que tenham isto em comum - simplicidade caseira. Não há nada como transformar ingredientes simples em refeições cheias de sabor! 

 

Tento usar ingredientes frescos e naturais sempre que possível, porque hoje em dia é cada vez mais difícil, especialmente para aqueles que vivem em grandes cidades, consumir alimentos que não possuam pelo menos alguns componentes pré-fabricados, conservantes ou outros elementos questionáveis com impacto na nossa saúde. 

Eu não sigo nenhuma "dieta" específica, especialmente daquelas que estipulam regras mais radicais, mas estou cada vez mais consciente de que o que comemos determina muito o estado da nossa saúde presente e futura. 

 

Tudo começou em agosto de 2012 com meu blog mais antigo "Cozinhar, provar, ... e partilhar!" mas quando tive alguns problemas técnicos e também porque já havia um blog com o domínio registrado, decidi criar o "From my orchid kitchen" ("da minha cozinha de orquídeas"), um nome que me ocorreu simplesmente porque é na minha cozinha que muitas orquídeas são encontradas, trazidas para casa pela minha mãe, que é uma entusiasta de flores e outras plantas. 

 

Eu não tenho nenhuma formação na área da culinária (mas antes na área do Ambiente) e a minha paixão por cozinhar cresceu desde uma tenra idade vendo e ajudando minha avó a preparar bolos e biscoitos, e mais tarde lendo livros, revistas, blogs de culinária e assistindo a programas de culinária na TV. 

Neste blog, podem encontrar uma combinação de receitas criadas por mim, receitas de familia, adaptações de outras receitas que encontrei e receitas de outras pessoas que experimentei e aprovaram. Sempre que colocar receitas que não são minhas, adicionarei o link para a receita original, ou mencionarei a fonte (no caso de livros ou revistas). 

 

Além disso, todas as fotos apresentadas foram tiradas por mim, excepto aquelas que podem ser referidas como tal. Eu não tenciono infringir nenhum direito de autor, mas se isso acontecer, agradeço que me notifiquem para o e-mail.

 

Não se esqueçam de seguir o blog, para que saibam o que de mais recente acontece aqui ...

Photo by Vladislav Klapin on Unsplash